O cristão não persegue um mundo melhor

Por muito estranho que pareça, um cristão não procura criar um mundo melhor. Os seus focos principais são, em primeiro lugar, amar a Deus acima de todas as coisas e, em segundo, amar ao próximo como a si mesmo.

Quando estamos empenhados em criar um mundo melhor, corremos sempre o risco de cair em utopias. Afinal, como é que é mesmo esse mundo melhor? Quem fica responsável por estabelecer os critérios para esse mesmo mundo? Quando temos uma ideia de um mundo melhor, é muito provável que os outros se transformem em obstáculos que é preciso ultrapassar ou anular, porque não estão a colaborar com a visão do mundo que estamos a tentar atingir. Quantas vezes isto já aconteceu na história da humanidade?

Como podemos saber nós o que é um mundo melhor? Em muitas alturas do nosso percurso comum, achamos que um mundo melhor era um em que houvesse mais prosperidade e bens materiais. Isso aconteceu: na Europa nunca foi tão grande a produção de bens materiais. Tão grande que virou, em grande medida, lixo. Lixo e um conjunto de bens que requerem manutenção e que implicam o nosso tempo, que cada vez é menos. Mesmo com esta produtividade toda, o medo de não ter o que comer mantém-se na generalidade das pessoas. Isto dá-se numa sociedade em que um terço da comida produzida vai para o lixo. Absurdo? É mesmo um mundo melhor que precisamos se continuarmos a viver um pesadelo dentro da nossa imaginação doente?

A proposta de Jesus nunca foi a da criação de um mundo melhor mas sim uma proposta de amor. Amar é a ordem que nós queremos cumprir. E o mundo ficará melhor? Pode ser que sim…

Imaginemos uma casa que tem alguém doente. A família dedica-se amorosamente a garantir tudo o que esta ente querido necessita. Pela falta da contribuição doméstica da pessoa e pelos cuidados que necessita, a casa fica um caos. A casa ficou melhor? Será que a prioridade desta família seria “Criar uma casa melhor”? Quais seriam os critérios para saber se o objectivo foi atingido?

Jesus dá-nos um mandamento: o Amor. É só nisso que devemos focar. E assim, o único critério para um mundo melhor é este. O único mundo melhor que podemos desejar é um mundo cheio de Amor.