Era uma vez uma tela suja
de um manto que não era purpura
como todos os outros mantos purpuras.

Deitava-se ao largo de um horizonte
comido sofregamente debaixo de uma ponte

SINTO FALTA DE DIÁLOGOS

Dizia ela enquanto acertava as unhas
com o que restava de uma lata de atum.

DESEMBUCHA, HOMEM! ISSO FAZ-TE BEM!

E aquilo caiu-lhe do colo e rebolou por cima de um gato.
O gato lambeu a pata e cozeu-lhe um bordado feito pela minha avó.

ESSA TELA ESTÁ SUJA!
Gritou-lhe ensurdecedoramente ao ouvido.