Esse foi o meu trabalho 
Toda uma vida o meu trabalho
Toda uma vida a mesma peça
Essa vida foi uma peça
Exigência que vem de dentro
Mais um pouco a ver se aguento
Que trabalho tenho para mostrar?
Tenho-me a mim.
Bem sei que as peças simples
Merecem pouco ou nenhum apreço
Dizia o poeta que era filósofo:
Nos tempos que forem bons
Serão as crianças a mandar no mundo
Criança sou agora e mais ainda.
Estou desprotegido.
Estou desprotegido?
Quem toma conta de mim agora
Que de mim não o sei fazer?
Tomas conta de mim tu?
Tu que ainda não conheço.
Abres-me os braços Terra?
Que semeie eu em ti os sonhos
Sonhos que te ponho no regaço.
Alguém que me ajude, por favor.
Tenho tanto por onde o ser.
Toda a vida fui a minha peça.
Esse olhar que só vê uma peça
Se esse olhar for simples,
Vê-me a mim.